segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Desejos

Eu A-D-O-R-O a época de Natal, sempre me traz boas recordações.

Até poderia falar em família, presentes, férias. O principal motivo de eu gostar tanto é outro: As pessoas mudam nesta época do ano: A generosidade é mais comum, vejo mais sorrisos, pessoas se dispõe a ajudar mais. Sei lá, é como se tivesse um pozinho mágico sendo espalhado nos corações da gente.

Gostaria de desejar que seu coração se encha de alegria, amor, paz. Que você possa olhar para trás e realmente ver o quanto avançou, o quanto cresceu. Da mesma maneira, que você possa olhar prá frente e encher o peito de esperança e ânimo para conquistar novos desafios e ter a coragem para realizar seus sonhos.

Desejo a todos que haja muito trabalho e saúde! Ainda há muito a ser feito para que possamos olhar as pessoas como nossos irmãos, enxergar a todos e sentir que todos somos um só, divididos em bilhões de corpos. Nossas alegrias e angústias também fazem parte de outros corações. Cada um de nós possui a capacidade de fazer com que outras pessoas se reergam através das nossas palavras e gestos. Também desejo que tenhamos a humildade de permitir que nossos corações conversem diretamente com outros corações.

Finalmente, desejo que possamos prestar mais atenção ao que a criança que mora em nosso coração tem a nos dizer. Tivemos tanta pressa em crescer e virarmos adultos que deixamos na estrada da vida uma parte muito importante de nós mesmos: nossa capacidade de sonhar e de admirar o mundo com os olhos inocentes da criança que fomos um dia. Que possamos libertar seus olhinhos, seus sonhos, suas esperanças num mundo melhor.

Paz
Shalom
Salamaleico
Namastê

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Por de sol


Meu filho e eu estávamos esperando o ônibus chegar para nos levar de volta ao ninho. Estava bem nublado, quase ameaçando chover. No meio das nuvens surgiam raios de sol em diversas direções. Parecia aquelas pinturas famosas que representam santos, sabe como é? Do nada ele disse “Tem sempre sol acima das nuvens” e sorriu, pensativo.

Sim, o sol sempre brilha, mas nem sempre conseguimos entender isso. Ficamos obcecados pelas nuvens cinzas que às vezes pairam sobre nós. Às vezes nos falta tranqüilidade e paz para olhar prá cima, procurar pelo sol. Nos esquecemos que, por maior que seja a tempestade ou o cinza das nuvens, uma hora elas vão embora. E, novamente, a natureza nos brindará com a luz e beleza do sol.

SEMPRE!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

O que é felicidade?


Ontem uma pessoa descreveu o que era felicidade para ele. Seu filho de uns 4 anos se apresentou numa peça da escola e, no meio da apresentação, lhe deu um tchau iluminado por um sorriso maior que o palco. Este simples gesto era a sua idéia de felicidade.

Sempre pensamos em felicidade como sendo algo inatingível. Achamos que atores, esportistas e grandes empresários são felizes por ostentarem sorrisos, riqueza ou fama. Será que a felicidade é tão difícil assim de ser conseguida, um prêmio para raros? Será mesmo?

Para mim, felicidade é estar cercado de pessoas que amo e que me amam e de papai do céu me permitir espalhar tanta felicidade.

E para você, o que é felicidade?

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Conversa num dia normal lá em casa


Cida, minha eterna namorada, me chama prá almoçar. Ela e o Daniel (nosso filho) colocaram o almoço na mesa que temos no quintal. Hoje almoçamos fora.

Eu:Que mesa LINDA (olhando firme para ela)
Ela: O Daniel quem colocou
Eu: Filho, você caprichou, hein?
...
Ela: Seus verdinhos estão embaixo (sou vegetariano)
Como ela estava de camisa verde, emendei, olhando firme para sua camisa: Adoro verde!
Ela: Adoro ver-te
...
Ela: Vou me servir, então
Eu: Estou aqui
Ela deu um sorrisão: Você já foi meu café da manhã (namoramos hoje cedo)
...
Ela: Me passa a metade?
Eu: Quero você inteira
Daniel: Quero minha namorada inteira também (ela está viajando)
...
A conversa seguiu normal, com um monte de cantadas...

A gente parece que está namorando faz pouco tempo. Concordo que a gente se conhece MUITO, em todos os sentidos. Mas nosso dia a dia é assim, de namorico, um grude que não tem tamanho. Detalhe: Fizemos 20(vinte) anos de namoro em fevereiro...


Definitivamente o amor é lindo, e se chama Cida!!!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Aprendendo a amar


Já fui tímido, galinhão, casado e há quase 21 anos estou namorando a Cida. Seria muito cômodo da minha parte dizer que agora está dando certo por ter achado a mulher que me completa. Não é tão simples assim.

Acho que grande parte do relacionamento com a Cida é da minha responsabilidade. Me desdobro para cativá-la diariamente. Tento fazer com que ela se apaixone por mim a cada dia, a cada instante. E ela, Cida como é, faz ainda mais por mim.

Sim, já me machuquei com ela, assim como também a machuquei. Para o Rudolf de outras épocas o que ocorreu teria sido mais um motivo para endurecer o coração, levantar muros em volta dele. O atual insiste, derruba muros. Com isso me torno frágil, por deixar o coração tão vulnerável, e forte, ao mesmo tempo, por deixar este mesmo coração viver, batendo acelerado cada vez que penso nela.

O amor é algo estranho e as mulheres sabem tão bem como amar, às vezes se doando muito e recebendo tão pouco em troca.

Ainda aprendo... Ainda aprendo...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Enxergando com o coração


Anos atrás peguei um vôo de São Paulo a Salvador. Já era fim de tarde e chovia o dia inteiro. Acho que até a alma tava ensopada. Assim que passamos pelas nuvens escuras e chuvosas, um sol magnífico surgiu. Não era só o sol, mas um senhor por de sol com cores amarelo avermelhadas se espalhando pelas nuvens. Além da beleza em si, as nuvens estavam abaixo de nós. Parecia uma pintura, de tão belo.

Tudo pode ficar diferente se mudarmos nossa maneira de enxergar as pessoas, fatos, verdades. Além do nosso humor e da nossa pré-disposição para tentar enxergar de outras maneiras, claro. Eu não teria reparado nesse por de sol se não estivesse olhando prá fora do avião nem se estivesse de mal com a vida. E, mesmo assim, estaria lá da mesma maneira para quem se dispusesse a enxergá-lo.

Querer enxergar é fundamental. O entendimento que temos das pessoas depende na nossa vontade de enxergá-las como são. Enxergar é muito mais importante do que ver. E, lembrando do pequeno príncipe, “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Beleza


Nuvens escuras aparecem no horizonte. Está precisando chover. O ar está bem seco, a chuva é sempre bem vinda. As plantas estão mirradas, suas folhas amareladas. Pardais tentam se refrescar na areia e em qualquer poça d’água que encontram. Mesmo com esta secura, ouço “o tempo está feio, deve chover”. O que é feio? O que é bonito? Dia bonito seria com sol, mesmo a gente precisando tanto de chuva?

A beleza é secundária na grande maioria das vezes. Depende de quem está olhando e do que consideramos importante. Acho lindo casais de namorados, principalmente os que parecem periquitinhos. Para mim, a beleza física deles é secundária, o amor é mais importante. Bombeiros e outros profissionais que acabaram de salvar vidas são lindos, por mais sujos que estejam. Faz sentido prá você?

Indo um pouco além, imagine qualquer pessoa, qualquer uma. Pode até ser você mesmo. Pegue algo particularmente emocionante que tenha acontecido com esta pessoa e faça um filme bem dirigido e interpretado. Provavelmente nos levará às lágrimas. A maneira de enxergar esta pessoa será diferente depois de assistirmos o filme. A beleza física ficará em segundo plano, pois todas as pessoas são lindas se soubermos enxergá-las do jeito que realmente são.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Permita-se amar


Existem pessoas que tem medo de se apaixonar, se entregar ao amor. Nos entregamos quando amamos, damos o coração inteiro para outra pessoa. E é dessa fragilidade que alguns tem tanto medo.

É fácil não gostar de ninguém, basta erguer um muro beeeeeeeeeem alto em volta do coração. Ninguém chega perto dele. Só que, com este muro, deixa-se de ser amado por alguém, flutuar toda vez que esse alguém especial olha prá nós. Nos derretemos em cada sorriso que recebemos, o relógio se move beeeeeem mais devagar quando vai chegando a hora de ver a pessoa amada.

Você até pode ter se machucado com alguém especial. A dor faz parte do crescimento. É ralando o joelho que a gente aprende a andar. Se permita amar, se permita acreditar que o amor é o sentimento mais lindo que possa existir.

VIVA, e deixe o amor guiar a sua vida novamente!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Como você quer que o mundo lhe trate?


Em julho teve festa aqui em casa. Foi aniversário de 16 primaveras da Debora, minha filha.  Chegou bastante gente, amigos deles e nossos também. Muitos tem problemas sérios onde moram. Nossa casa sempre foi refúgio, um oásis de paz. Muitos dormiram em casa esta noite, já estamos acostumados.

O susto mesmo foi na manhã seguinte. A casa estava impecável, toda limpa, a louça brilhando. A Cida até comentou que nem ela deixa a pia deste jeito! E são meninos beirando 18 a 20 anos.

O mundo nos retorna o que damos para o mundo. Se tratamos as pessoas bem, elas nos tratam melhor ainda, e com maior prazer! Aqueles meninos estão acostumados a serem bem recebidos em casa. O que fizeram de madrugada foi um belo gesto de carinho.

Repare no ambiente que você está AGORA. Cada pessoa tem uma personalidade, claro. Faça um pequeno teste hoje: trate TODO MUNDO da melhor maneira, inclusive (ou principalmente) aquele ali que você considera o mais chato. Elogie, espalhe sorrisos, agrados. Ao longo do dia a mudança já vai ser percebida por você e por todos. O ambiente fica mais leve, o ar mais feliz. Se resolver prestar atenção de verdade, até as plantas vão parecer mais bonitas. Sim, até elas captam o que sentimos. Já ouviu falar de "olhar de seca-pimenteira"?. Sou testemunha ocular que isso existe, sim.

Como você quer que o mundo lhe trate? Trate-o da mesma forma ;)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Você já recebeu um sorriso hoje?


Estava no refeitório da empresa quando uma "servente" comentou com a outra que meu filho também estava trabalhando aqui. Assim que soube quem era, a outra disse que ele parecia muito com seu filho. Comentou que também parecia o Cacá do futebol. Aí falei que, se fosse parecido com o Cacá ele deveria ser bonito, e concluí que então seria muito parecido com a mãe (a senhora de uns 60-70 anos que eu estava conversando). Na hora ela riu sem graça pelo elogio inesperado. Isso foi ontem. No dia seguinte vi-a no refeitório. Me cumprimentou de longe e deu outro lindo sorriso.

É muito fácil ser feliz. Muito MESMO! Basta fazer outras pessoas felizes. A energia que recebemos de volta é muito poderosa, assim como a que a pessoa irradia a outras.

Um elogio sincero e brincadeiras inocentes fazem milagres. Os Doutores da Alegria que o digam. Acho que poucos gestos produzem um impacto tão inebriante numa pessoa como o elogio. E, como numa avalanche, todos à nossa volta se sentem melhor, mais leves.

Existe uma frase conhecida que diz "Você já sorriu hoje?" Prefiro lançar um desafio a você. Sim, você mesmo que está lendo isso: "Você já recebeu um sorriso hoje?"

Sorrir é fácil. O desafio é fazer com que as pessoas se sintam tão bem com você que lhe sorriem constantemente.

E aí, topa o desafio?

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Águia


Recentemente li uma crônica falando das águias. As mãe empurram os filhotes para fora do ninho para poderem voar. Não deve ser uma experiência muito agradável para o filhote, lembrando que os ninhos das águias ficam nos pico mais elevados das montanhas. Ele só tem uma única chance. Ou voa ou voa.

O autor continua falando que a águia voa livre, alto e acima da maioria dos, senão todos, animais. Voa soberana no meio das fortes rajadas de vento que passam nos altos das montanhas mais altas. Não nasceu para ciscar nem escavar, como as galinhas. Plana majestosa a procura de comidas melhores.

O texto termina dizendo que devemos ser como a águia. O começo não é fácil, tal como a própria águia, mas o resultado compensa o risco e o frio na barriga. Muitos dizem que é difícil voar como uma águia no meio de tantas galinhas. Esforce-se, se atire para fora da segurança do ninho, alce voo. O risco vale a pena.

A outra opção é ficar no meio das galinhas, admirando as corajosas águias voando lá em acima.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Olhos de criança

Ontem no horário do almoço assisti uma cena que me emocionou.

Daqui de onde estou consigo ver o estacionamento da empresa. Um senhor de raros cabelo brancos estava soltando pipa. Ficou um bom tempo se divertindo. Acabado o horário de almoço, guardou a pipa no carro (um belo carro, por sinal) e voltou ao trabalho.

Por que me emocionou? Ele faz o que mais insisto em dizer: Sempre ouvir a criança que mora no nosso coração. Não a birrenta, a "infantil". E sim a que se maravilha com um pedaço de bambu e papel deslizando no vento, ligado ao coração por uma linha . A criança que se maravilha com coisas simples, que TODOS nós podemos ter ou fazer, desde que prestemos atenção ao nosso lado criança.

Precisamos brincar, rir, sorrir, fazer arte. Precisamos olhar o mundo maravilhoso com olhos da criança que um dia fomos e sempre seremos.

A vida é maravilhosa. Temos que permitir nos encantar por ela. SEMPRE!

Basta ouvir a criança que mora no SEU coração ;)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Superação


A Debora, minha filha, comentou sobre uma reportagem sobre a relação de um pai com seu filho. O rapaz nasceu com algumas complicações que fizeram com que tivesse dificuldade de movimento e de se expressar. A partir de determinado instante seu pai passou a competir em provas do tipo triatlo, onde cada competidor pedala, nada e corre grandes distâncias. Sempre levando seu filho junto. Não, o rapaz não fica assistindo na platéia, ele participa junto com seu pai!

Cada um de nós teve que vencer provas dificílimas, tão difíceis que as chances de vitória eram bem próximas de zero. Estou exagerando? Lembra-se de como fomos formados, uma corrida entre milhões de espermatozóides? Sim, vencemos! Você, eu e todos os seres vivos deste planeta! Somos vencedores! Atualmente temos alguns problemas (oportunidades, como diz a Debora). Novos desafios surgem a cada instante, nos estimulando a prosseguir na nossa estrada. Absolutamente NENHUM tão difícil como nossa primeira vitória! Nossos problemas não parecem tão difíceis visto por este prisma...

É graças aos desafios que aprendemos a andar, correr, pular. A grande maioria de nós não recebeu desafios tão hercúleos como do pai e do filho da reportagem. Por outro lado, eles resolveriam facilmente nossos problemas. Eles tiveram a sorte de receber desafios tão gigantescos e souberam resolvê-los com amor. Nós, ainda iniciantes, nos descabelamos com nossos pequenos grandes problemas. Quem sabe um dia tenhamos a mesma sorte deles...

PS: Assista a reportagem da história da dupla em (2 partes):


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Plantando felicidade


Quer fazer um teste bem simples? Chegue hoje em casa e dê uma flor roubada prá sua mãe ou sua irmã, junto com um abraço do tamanho do mundo. Também pode ser algo que seu pai ou seu irmão gostariam de receber. Tem que ser de improviso, tá?

Faça cosquinha no seu pai e dê um beijo nele, gozando da careca/barriga ou algo que chame a atenção.

Espalhe sorriso, ilumine o pessoal com sua alegria.

Pronto!

Repare que esta alegria que você espalhou fica durante muito tempo. Aos poucos você vai perceber que todos entram nesse clima de brincadeira. As sementes brotaram. Agora basta regar :)

Faça o mesmo com o namorado, amigos, colegas. Tente só dizer coisas bacanas, nada de chatices ou queixas.

Vai trabalhar no sábado? Que bom!!! Olhe em volta e repare quantas pessoas o SEU trabalho está ajudando. Muitas pessoas você nem conhece!

A vida é maravilhosa! A sua parte (assim como a minha e de todos) é espalhar sorrisos, deixando um rastro de felicidade que penetra em cada coração.

É mais simples do que parece. Basta começar!

domingo, 31 de outubro de 2010

Cosquinha

Adoro fazer cosquinha nos meus filhos. Gostoso pegá-los de jeito, riso farto. Principalmente quando começam a pegar no meu pé. A Debora é magrinha, fácil de imobilizar. Nem preciso fazer cosquinha. Basta ameaçar que ela já ri e se encolhe toda. Daniel é mais forte, tem que pegar de jeito.

Cosquinha é para momentos especiais. Se fizer constantemente fica insosso, o riso como motivo principal. O carinho, a malandragem, a brincadeira é tem que prevalecer. Tem vezes que estou com muito sono e a Debora insiste em ficar na nossa cama. “No meio dos dois”, ela brinca. É a hora em que acontecem as brincadeiras, gozações de ambas as partes. A cosquinha nela (e ela em mim) é uma destas brincadeiras. Há todo um contexto para se encaixar.

“Nig-nig”, é assim que chamamos cosquinha lá em casa. Como muitos outros termos inventados, não faço idéia de como surgiu. Só sei que, se não foi a Debora, foi a Cida quem inventou. Haja imaginação das duas para escolher nomes nada-a-ver que se encaixam perfeitamente. Melhor que o nome, só o riso e alegria causado quando o colocamos em ação.

sábado, 30 de outubro de 2010

Surpresa


Acho que todo mundo que ama gosta que seu parceiro mesmo lhe faça as coisas que lhe agradam. É que nem dar uma flor roubada. Pode ser simples, mas é mais romântico do que ir na floricultura. Do nada surge um presente, e dado por quem nos ama!

Semanas atrás o pessoal de casa resolveu fazer um jantar especial, sem nenhum motivo, em pleno dia da semana. Quando cheguei do trabalho a mesa já estava no quintal. Capricharam tanto que o jantar foi à luz de velas. Eles mesmos fizeram a pizza (uma delícia, por sinal) ao invés de comprar. Achei lindo o gesto deles.

Simples, e emocionante!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Carinho


Colo, cafuné, chamego. Que delícia, hein? Encostar em alguém e deixar a alma flutuar por entre seus dedos. Se arrepiar, melhor ainda!  Cabeça no colo e mão fazendo cafuné chega a ser covardia! Que vontade louca de se derreter, o olho mal se abre. Não é a toa que os gatos ronronam. Hummm, é bom demais!

Quando foi a última vez que VOCÊ fez carinho em alguém, sem segundas intenções, apenas para deixar a outra pessoa curtir o chamego? É um círculo virtuoso. A gente começa fazendo em alguém e esse alguém vai tomando gosto e fazendo na gente também. Outros que vão passando também pedem carinho e vão se juntando. É tão viciante que mal se encostam e já rola um carinho.

Às vezes o carinho rola durante um filme, um livro, uma conversa relaxada. Motivos não faltam. Fazer ou receber um chamego também é ótimo para estreitar laços de amor ou amizade entre namorados, filhos, pais...

Vai um carinho aí?

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Crescemos?


Todo um futuro nos aguardava quando éramos criança. Pensávamos em como melhorar o mundo, seríamos importantes e famosos. Defenderíamos a natureza e as pessoas. Seríamos piloto do avião, médico, inventor. Casaríamos com alguém muito especial e teríamos filhos maravilhosos.

Muitos anos depois, crescemos e acreditamos que estamos mais maduros. E o que fizemos com tantos sonhos da nossa época de criança? Quantos foram realizados? Dos que não realizamos, lutamos por eles ou simplesmente desistimos? Nossas atitudes atuais refletem nossos desejos?

Deixo aqui um questionamento que sempre trago comigo: A criança que fui se orgulharia do adulto que sou hoje? Mesmo?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Plantas


As plantas precisam de cuidados para crescerem fortes e belas. Precisamos regar a terra, tirar as folhas mortas, tratá-las com carinho. De tempos em tempos um adubo se torna necessário para que cresça com saúde. Pulgões e outros bichinhos devem ser mantidos longe para que não suguem sua seiva.

As pessoas são como plantas. Precisam ser cuidados para permitir que a felicidade bata à nossa porta. Claro, só depende de nós se permitimos que ela entre ou volte mais tarde. Pessoas necessitam de amor, paz, serenidade para resolverem melhor seus problemas, seus desafios. Se fortalecem quando oferecemos um bom tempo ouvindo o que tem a dizer. Elogios sinceros são gotas mágicas irrigando suas almas áridas, nossos sorrisos iluminam seus sofrimentos.

Devemos cuidar das pessoas para fiquem melhor do que estavam. Com a alma mais leve espalham alegria como se fosse brisa perfumada e, com o passar do tempo, teremos um belo jardim.

domingo, 24 de outubro de 2010

Ser criança


Que maravilha que é ser criança! Admiram pássaros, brincam com travesseiros, fazem festa com aviões de papel. O mundo é mágico quando visto pelos olhos de uma criança. Pedaço de madeira viram animais ferozes, bonecos viram heróis de verdade, carrinhos ultra rápidos conquistam os lugares mais altos do pódio, bonecas super produzidas são estrelas de cinema e TV.

Todos nós temos uma criança que vive em nossos corações. Vive lá no fundinho dele, onde tem aquela curvinha simpática. Todos nós a temos! Esta pequena criança quer nossa atenção. Continua se maravilhando com o que vê e sente, mas nós, considerados adultos, não prestamos mais atenção ao que diz.

Precisamos voltar a ouvir o que esta criança nos fala. Precisamos voltar a buscar a inocência dos seus olhos. Precisamos voltar a enxergar o mundo cheio de magia, como ele realmente é. Sua voz continua serena e risonha. Nos incentiva a reencontrar o que perdemos ao longo do caminho. Só o que temos a fazer é prestar atenção nela. Só isso? Sim, só isso.

sábado, 23 de outubro de 2010

Coração de criança


Fomos num pesqueiro quando meus filhos ainda eram bem pequenos. Pescador de primeira viagem, passei a tarde dando banho nas rações de peixe. Resolvi apelar e usar minhoca. Minha filha, que estava acompanhando tudo de perto, me viu colocando a minhoca no anzol e perguntou se ela estava sentindo dor. Olhei para a minhoca, que se contorcia entre meus dedos inexperientes, olhei para a Debora, de volta para a minhoca e, finalmente, para a Debora. Respondi que devia estar sentindo dor, sim. Ela começou a chorar alto e sentida, tentando me impedir de continuar com a tortura do bichinho.

Somente uma criança consegue se preocupar com sofrimento de seres tão frágeis. Esta e outras perguntas inocentes me tem feito pensar sobre nossa presença neste planetinha lindo.

Minha filha sempre foi linda, com um coração puro e cabeça sem igual. Desde muito pequena me faz pensar sobre as coisas simples, importantes. Aprendi e aprendo muito com ela. Atualmente tento seguir o que meu coração me diz. Tento não complicar o que a vida me oferece. Tento evoluir, sendo novamente a criança que um dia eu fui.

Obrigado, Debora, minha filha.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Gangorra da vida


Hoje tá um friozinho gostoso nessa cidade grande. Daqui da janela dá prá ver que o céu está cinzento, cheio de nuvens. Mas não foi isso que vi ainda há pouco quando estava vindo prá cá. Do outro lado do prédio o céu também tem nuvens, mas bem menos do que aqui. Lá deve ser o parcialmente nublado das notícias meteorológicas. Dá prá ver bastante azul lindo do céu.

Este prédio parece com a gente. Dependendo da direção ou maneira que olhamos vemos o mundo diferente. Se estamos tristes ou chateados fica tudo cinzento, faltando alegria. Pode estar o maior sol ou até um arco-íris. Se, por outro lado, estamos apaixonados, tudo é lindo, brilhante. Pode ser a maior tempestade com raios. É lindo do mesmo jeito!

Por que é tão difícil escolher qual chave a gente liga, da tristeza ou da alegria? Seria tão mais fácil se pudéssemos jogar a chave da tristeza fora e amarrar a da alegria para que sempre fique ligada, não? Isso nos tornaria pessoas melhores? Acho difícil.

A felicidade precisa da tristeza para existir, da mesma maneira que a luz precisa da escuridão. Se só houvesse felicidade, perderíamos a referência do que é ser feliz. Da mesma forma, não existe somente tristeza.

Minha sábia mãe costumava dizer que, quando a gente passava por aquelas fases onde tudo dá errado, era para a gente agüentar um pouco mais, pois logo chegaria o momento que só haveriam alegrias para compensar a fase anterior. E quanto mais azar tivéssemos, mais sorte teríamos em breve.

Olhando agora para fora percebo que as nuvens cinzentas continuam lá, mas vejo alguns pedaço do azul do céu. Aos poucos a gangorra da vida muda de lado novamente. E novamente. E novamente, ...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sonhos


Pequenos frascos podem conter diversas substâncias, desde as mais comuns até as mais raras. Sua principal finalidade é manter do lado de dentro algo que só pode sair quando queremos. Seu conteúdo pode se perder se sair antes do tempo ou se for difícil de sair. A não ser que o objetivo seja que as frágeis donzelas peçam ajuda aos musculosos machões. Graças à Deus ambos se encontram em extinção.

Os sonhos são o conteúdo raro e precioso que guardamos dentro de peito, até que seja o momento de liberá-los para serem realizados. Este momento é especial, algumas vezes aguardado por longo e incerto tempo. Sonhos podem se perder se saírem antes do tempo, pois poderíamos não saber aproveitar a oportunidade. Ou, pior ainda, ficarmos com medo de realizá-los. Quantas vezes ficamos assustados com a perspectiva real da sua realização. Com o medo, amarelamos.

Assim como um perfume delicioso, sonhos não foram feitos para ficarem escondidos. Existem para tornar a vida mágica, envolvente. Realizar sonhos nos deixam nas nuvens, maravilhados. Devemos ter a coragem de realizá-los, sempre. E, principalmente, devemos nos permitir a alegria de sentir seu perfume raro.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Chega de birra


Já perceberam que a expressão dos santos e pessoas iluminadas nos faz imaginar que não são deste mundo? Rostos serenos, paz de espírito, paciência acima das nossas ansiedades. Como deve ser viver assim, flutuar num mar zen? O que deve passar na cabeça deles quando nos vêem sofrendo com dores criadas e mantidas por nós mesmos? Quão inatingível é a sua paz?

Muitos sofreram desde pequenos. Seu caráter foi forjado com lágrimas, dores, angústias. Creio que a grande diferença entre eles e nós foi o que fizeram com o que receberam. Revidamos com raiva, vingança. Eles, com amor e perdão. Nós sofremos com que recebemos, eles ajudam quem os machucou. Deixam o amor invadir seu coração e se espalhar aos dos algozes.

Há muito tempo ousamos dar nossos primeiros passos, ainda inseguros. Caímos, choramos, insistimos. Queríamos mais do que engatinhar. Passamos a andar, correr, pular. Da mesma forma, está na hora de crescermos, parar com as birras. Está na hora de perdoar e ajudar quem nos fere. Queremos mais do que só engatinhar na vida.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Felicidade


Lá fora está nublado, percebe-se uma leve brisa e ouve-se passarinhos ao longe. Outras pessoas poderiam estar do meu lado e não perceberiam nada disso. Só reparariam que está nublado, nublado, nublado. Mesmo que o sol estivesse nos brindando com sua presença iluminada se apegariam a algo triste, vazio. Ou nem isso.

Muito se tem discutido sobre o que é felicidade. Não creio que dependa de um parceiro recém descoberto, dinheiro jorrando da conta bancária ou filhos que acabaram de vir ao nosso mundo. Estas alegrias são muito efêmeras, rapidamente caem da posição de êxtase que se encontram. Felicidade é bem mais profundo, eterno, sublime. É algo tão difícil de se explicar como o próprio amor. Não a paixão de novos amantes, mas o amor de almas que se admiram e se conquistam há muito tempo. É cálido, tranqüilo, envolvente. Não se explica, se vive.

Só percebemos que somos felizes quando reparamos nas belas nuvens, brisas acariciando as folhas das árvores e passarinhos celebrando um novo dia. Sempre estiveram lá, longe dos olhares da maioria, que se preocupam tanto em buscar a felicidade que não percebem que está à disposição de todos. Basta se entregar a ela.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Livro da vida


Cada um de nós é a pessoa mais importante do mundo. Cada gesto, cada pensamento ou emoção é fruto amadurecido pelos infinitos segundos de vida. Possuímos uma história que encheria um livro.

O grande barato é trocar idéias, experiências, alegrias e dores. Fazer parte da vida, da história de alguém. Deixar uma marca, lembrança, um pequeno rabisco ou até uma pequena nota de rodapé nos seus livros de vida. Chega a ser mágico se as palavras que deixamos em outras histórias os faz sentirem melhor. Que máximo!

E o que fazemos com as palavras que outros nos deixam para serem adicionadas ao nosso livro da vida? Devemos tentar escrever estas palavras com tinta brilhante se pretendemos transformar nosso livro numa enciclopédia vasta e rica.

A maneira com que as palavras de uns são escritas nos livros de outros depende de uma palavrinha mágica chamada RELACIONAMENTO.